segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

"O CIPRIANO"

Deambulando pela Internet encontrei o blogue, DOURINTEIRO – CONTOS DO DOURO, do Sr. M. Araújo.
É um blogue onde se contam as estórias e histórias das gentes do Douro. Gostei, Gosto!
Gosto do que escreve e da forma como o faz.
Gostei de sobremaneira da história do Cipriano. Porque me identifiquei com ela.
O Cipriano do Pejão podia muito bem ter sido o Cipriano da Panasqueira.
Da leitura vieram-me à memória os comentários das mulheres, tantas vezes ouvidos na nossa terra, quando os homens tossiam:
Pergunta uma - já “viste” a “cascalheira” do Ti…?
Responde outra - já, não deve cá andar muito tempo…Deus lhe dê uma morte seca…
Respondem todas - Deus lhe dê …
Fazia-me alguma confusão a troca do “ouvir” pelo ver. Hoje entendo. Bastava-lhes “ouvir”, ouvir a “cascalheira”, para relembrarem o sofrimento que viram e sentiram nos seus homens, quando os pulmões deles pararam de tanto cansaço.
Não resisti à tentação de “tirar” umas linhas da História do Cipriano. Para aguçar o apetite a quem a queira ler:
(…) “No rebordo arredondado do cruzeiro o Cipriano vai assistindo a tudo e ao passar dos companheiros a caminho da mina.” (…)
(…) “Pouco dorme, a tosse rouca e profunda é um tormento e, a falta de ar nos pulmões, sufoca-o e quase a deixa agonizante. Levanta-se cedo e é para aqui que vêm matar saudades dos amigos, da lida, ou então do salário que perdeu por ter metido baixa.”(…)

Para a ler toda a história não é fácil. Não está no princípio do blogue. Para lá chegar é preciso “andar” alguns “metros”.

Aqui vai o croqui:
Entra-se pela “CAGA-NA-MARCA”, passa-se pela “SANFONA DE NESPEREIRA”, desce-se pela chaminé “A BARCA DE FANTASIA” que dá acesso à galeria “FELIZ ANIVERSÁRIO” onde se localiza o desmonte “A CHICA” e está a ser extraído o nosso filão “O CIPRIANO”

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Breves...

No Souto da Casa manteve-se a tradição.

(...)“De quem é o Carvalhal?”, pergunta José Pedro Baptista. “É nosso”, respondem os restantes a plenos pulmões tal como fizeram os antepassados em Fevereiro de 1890.(...)
Isto foi só para aguçar o petite. Vale a pena ler a notícia toda em
http://www.diarioxxi.com/?

*************
Da Alemanha:

Já estão on-line as fotografias do Baile de Carnaval e os resultados, ainda parcelares, do Torneio de Futsal.
A informação será completa se consultar:
http://www.aps-noticias.blogspot.com/

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

Breves...

Pode ser consultado on-line:
O Fundo Antigo da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) é constituído por um acervo de obras maioritariamente publicadas anteriormente a 1945.(...)
http://www.fc.up.pt/fa/

De quem é o Carvalhal?
(...)A Junta de Freguesia do Souto da Casa (Fundão) organiza hoje a festa da Tomada do Carvalhal, uma tradição da quarta-feira de cinzas, que este ano vai contar também com o trabalho de investigação da ESTE – Estação Teatral da Beira Interior.(...) Toda a notícia em: http://www.diarioxxi.com

Grande Manifestação

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

Não sabia...

mas, no próximo dia 5 de Março, faz 46 anos que esta fotografia foi tirada.


(...)[Korda que nunca reivindicou quaisquer direitos sobre a fotografia, impediu várias vezes que a mesma fosse utilizada para fins comercias. Korda, comunista convicto, disse numa entrevista: “Como defensor dos ideais pelos quais Che Guevara morreu, não me oponho à sua reprodução por aqueles que desejam difundir a sua memória e a causa da justiça social por todo o mundo.”](...)
do sítio:http://notasaocafe.wordpress.com/2006/11/09/a-fotografia-de-korda/

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

Breves...

CONCURSO DE CONTO E POESIA


Todos e Todas podem concorrer. A ficha de inscrição e o Regulamento encontram-se em
http://www.cgtp.pt/index.php?option=com_content&task=blogcategory&id=27&Itemid=126


**********************************************************

"O Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho e a União de Sindicatos dos Sindicatos de Castelo Branco celebram, no próximo dia 6 de Fevereiro, um protocolo de colaboração no âmbito da criação e consolidação de uma rede nacional para a prevenção de riscos profissionais que está a ser promovida pelo ISHST.
A cerimónia de assinatura decorrerá na sede do Sindicato Têxtil da Beira Baixa, na Covilhã, pelas 11h30." O resto da notícia: http://www.ishst.pt/ISHST_Noticia.aspx?nid=A000000000003843


quinta-feira, 1 de fevereiro de 2007

Até que enfim!...




Fotografias de Francisco José Dias Pereira

Segundo informações recebidas e as fotografias documentam, começaram as obras de alargamento e alcatroamento da estrada que liga a sede de freguesia às povoações do Vale da Cerdeira e Casal de Santa Teresinha.
Já não era sem tempo. As populações merecem-no.
Ainda era Presidente da Junta de Freguesia o Sr José Romão, quando o antigo e actual Presidente da Câmara da Covilhã,Sr Carlos Pinto, afirmou:
"(...) até ao fim do mandato, lançar a empreitada que permita o alcatroamento da estrada que liga S. Jorge ao Vale da Cerdeira e Casal de SantaTeresinha;(...)"

in: http://www.cebola.net/mineirodigital/antigo.htm
Felicidades à Junta de Freguesia na realização desta empreitada e que de facto as promessas se cumpram.

História de Um Segredo


a mulher decide
a sociedade respeita
o estado garante



6 de Fevereiro 21h30 Teatro-Cine da Covilhã

História de um segredo Mariana Otero

Sinopse
"Quando tinha quatro anos e meio a minha mãe desapareceu. A nossa família disse-nos, a mim e à minha irmã, que ela tinha ido trabalhar para Paris. Um ano e meio mais tarde, a nossa avó confessava-nos que ela tinha morrido numa operação ao apêndice.
Durante a nossa infância e adolescência, o nosso pai nunca nos falou dela, a não ser para nos dizer que ela tinha sido uma pintora e uma mulher extraordinária. Fechou os quadros dela num armário e arrumou as fotografias numa gaveta, que nos proibiu de abrir. Se por vezes lhe desobedeci, nunca manifestei realmente grande curiosidade por aquela que tinha sido minha mãe e de quem nem sequer reconhecia o rosto nas fotografias.
Quando o nosso pai se decidiu finalmente a falar-nos da nossa mãe, foi para nos revelar as verdadeiras circunstâncias em que ela morreu. Esse segredo que ele guardou durante 25 anos sozinho tinha-o impedido de nos falar da sua vida e de nos mostrar a obra dela. Ao quebrar esse tabu ele devolveu-nos a nossa mãe. Senti então a necessidade de reconstruir esta história e reencontrar aquela que me tinha sido duplamente roubada pela morte e pelo segredo. Ela era pintora, eu sou cineasta. À falta de lembranças, são os seus quadros que podem, com o cinema, conduzir-me até ela.
Mariana Otero"