quinta-feira, 31 de maio de 2007

Há muito que andava para o fazer. Só hoje ganhei coragem.


[Uma "pedrinha que brilha para ti"...



Eu sempre procurei as "pedrinhas que brilham” no meio do cascalho da minha rua.

Encontravam-se ao pontapé, pequenas, brilhantes, difíceis! E a minha mãe ralhava-me sempre, porque rasgavam os bolsos.

Mas quando encontrávamos “aquela”! Era única! Preciosa, com valor só para nós.

E, de repente, já estávamos dentro de um país de maravilhas, cheio de tesouros, de aventuras, de princesas (um príncipe para a misogena) e ladrões... enquanto a pedrinha fosse nossa e a mãe não a deitasse fora porque rasgava os bolsos….

vcb]

Alterei a cor e o tamanho das letras, assim lê-se melhor o texto.

4 comentários:

Anónimo disse...

a pedrinha ate è bonita...suiça

Vitor disse...

Delfina!!!!
Onde encontras-te isto?

finadamina disse...

Vitor

Encontrei esta história, há já algum tempo, no sítio onde o escritor a escreveu.
Foi (é) pena não ter escrito mais.

vitor disse...

...esclarecido!